top of page
  • Foto do escritorLagoaNerd/Karen

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO COMPLETA DA PRIMEIRA EDIÇÃO DO BONITO CINESUR – FESTIVAL DE CINEMA SUL-AMERICA

Com uma seleção diversificada de títulos da América do Sul, o evento será realizado gratuitamente de 4 a 11 de novembro

BONITO CINESUR - FESTIVAL DE CINEMA SUL-AMERICANO
BONITO CINESUR - FESTIVAL DE CINEMA SUL-AMERICANO

Foi anunciada a aguardada programação do BONITO CINESUR - FESTIVAL DE CINEMA SUL-AMERICANO. Gratuita, a primeira edição do festival apresentará aos espectadores dezenas de curtas e longas-metragens produzidos na América do Sul, bem como debates com curadores e cineastas e shows com convidados muito especiais.


O festival, que será realizado entre os dias 4 e 11 de novembro deste ano no Centro de Convenções e na Câmara Municipal da cidade de Bonito - MS, oferecerá premiação em dinheiro e o Troféu Pantanal para os melhores filmes escolhidos por um Júri Oficial e pelo voto do público no Júri Popular nas categorias: melhor longa sul-americano, melhor curta sul-americano e melhor filme sul-mato-grossense.


Dividido em cinco categorias, a programação contará com seis títulos na mostra competitiva Longa-Metragem Sul-Americano: "Lucette" (de Mburucuya Fleitas e Oscar Ayala Paciello); "La pampa" (de Dorian Fernández Moris); "Green Grass" (de Ignacio Ruiz); "El visitante" (de Martin Boulocq); "La bruja de Hitler" (de Virna Molina e Ernesto Ardito); e o brasileiro "Mais Pesado É O Céu" (de Petrus Cariry).


Já na mostra Curta-Metragem Sul-Americano, os títulos são "Sigma" (Allan Riggs e Rubens Sant’Ana), "Milonga de espino" (Álvaro Leivas), "Vias" (Pablo Agustin Richards), “Yigayo yuwuerane" (Ross Dayana López), "Piedra dura" (Rommel Villa) e "Estrellas del desierto" (Katherina Harder). As suas exibições serão precedidas das obras da mostra Longa-Metragem Sul-Americano.


Outra mostra competitiva é a Filmes Sul-Mato-Grossenses, composta por "Planuras" (Mauricio Copetti), "Adão e Eva do Pantanal Sul" (Ara Martins), "Cordilheira de Amora II" (Jamille Fortunato), "As Marias" (Dannon Lacerda), "La plata ivygu - Enterros e Guardados" (Paulo Alvarenga Isidorio e Marcelo Felipe Sampaio), "Cativo" (Albano Pimenta), "De Tanto Olhar o Céu Gastei Meus Olhos" (Nathália Tereza), "A Outra Margem" (também de Nathália Tereza) e "A Dama do Rasqueado" (Marinete Pinheiro). Para finalizar, há duas mostras paralelas. A Animasur é uma seleção de animações em curta-metragem voltada sobretudo para os públicos infantil e infantojuvenil, com quatro delas preparadas com recursos de acessibilidade. Já a Mostra Ambiental é representada por documentários e obras de ficção cujas temáticas estão relacionadas ao meio-ambiente. Dirigido por Líbero Luxardo em 1932, “Alma do Brasil” foi selecionado como o filme de abertura do BONITO CINESUR - FESTIVAL DE CINEMA SUL-AMERICANO. Neste clássico, a paisagem do sudoeste de Mato Grosso (região do atual Mato Grosso do Sul) é palco para a reconstituição do episódio conhecido como Retirada de Laguna.


"Inocência", dirigido por Walter Lima Jr., é outro clássico brasileiro na programação, em projeção batizada como Memória BonitoCineSur. Produzido em 1983 por Lucy e Luiz Carlos Barreto, o drama, adaptado do romance homônimo de Visconde de Taunay, é ambientado no Brasil imperial e acompanha um médico itinerante ao conhecer uma moça com malária, por quem se apaixona, sendo correspondido.


O diretor do Festival, Nilson Rodrigues, ressalta que “quer que o evento seja um espaço de encontro da melhor produção cinematográfica da América do Sul e também o ambiente para discutir os nossos mercados, as dificuldades que enfrentamos para termos acesso às nossas cinematografias. A ideia é contribuir para construir alternativas.


O curador da Mostra de filmes sul-americanos de longa e curta-metragem, José Geraldo Couto, afirma que “a importância deste novo festival é enorme, por tornar a cidade de Bonito (e o estado do Mato Grosso do Sul) um polo importante de difusão e debate da produção cinematográfica contemporânea do continente. O MS está praticamente no centro da América do Sul, fazendo fronteira com a Bolívia e o Paraguai, o que faz dele uma região particularmente apropriada para a veiculação de obras e o intercâmbio de experiências dos realizadores cinematográficos do continente.


Além disso, José Geraldo aponta que “a busca pela diversidade temática e estética foi tão importante quanto a exigência de qualidade artística” na escolha das obras selecionadas. O curador afirmou ainda que “os filmes selecionados acabaram se impondo justamente por combinar relevância temática e excelência na realização cinematográfica. Em termos de tema, estão presentes questões candentes da atualidade: políticas, sociais, étnicas, de gênero, etc. Mas esses assuntos são abordados das mais diversas maneiras, e essencialmente cinematográfico, variando do drama ao suspense, do documentário ao fantástico.


Além das Mostras de filmes, o evento contará com ampla programação com atividades formativas, fóruns de discussões sobre mercado de cinema e audiovisual na América do Sul, encontro com produtores e realizadores, oficinas de roteiro, de elaboração de projetos audiovisuais e de coprodução internacional.

Confira a programação na íntegra a seguir, no site ou nas redes sociais:

17 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page