top of page
  • Foto do escritorLagoaNerd/Karen

No dia 8 de maio, livro 'Axé Amor Amém', de Claudio Soares e Tuila Jost, será lançado no restaurante Preto Cozinha

Com prefácio de Carlinhos Brown, direção de arte de Batman Zavareze e design de Leo Eyer, a obra destaca a história dos orixás e dos santos católicos e traz conteúdos em vídeo


Foto de imagens de Oxalá e Iemanjá retratadas no livro "Axé Amor Amém"
Foto de imagens de Oxalá e Iemanjá retratadas no livro "Axé Amor Amém"


Com textos, fotos e vídeos originais, Claudio Soares e Tuila Jost convidam os leitores de “Axé Amor Amém” para um mergulho no sincretismo religioso, mostrando a distinção e as semelhanças entre os orixás e os santos católicos, e afirmando o sincretismo como um movimento de resistência. O lançamento da obra em São Paulo será no dia 8 de maio, às 19h, no restaurante Preto Cozinha, em Pinheiros. Escrito para todos que desejam ampliar o conhecimento a respeito de religiões de matriz africana, ou mesmo para quem não tem conhecimento prévio sobre o assunto, o livro traduz o sentimento de fé presente no Brasil, propondo a união dessas diferentes religiões através do ponto em comum entre elas: o amor. “Axé Amor Amém” (Editora Afluente, 327 páginas, R$340) tem prefácio de Carlinhos Brown.


"Este é um livro sobre  a experiência do sincretismo como uma cultura de fé. Nesse recorte cultural da fé do brasileiro, buscamos trazer o que está acima do humano, pois entendemos que orixás e santos trabalham dentro da mesma energia. Para nós, o sincretismo pode ser um instrumento de combate à intolerância", afirma Tuila. Claudio complementa: "Além do exercício da fé, o livro busca ampliar o conhecimento para que o não à intolerância religiosa seja uma realidade absoluta. É um livro onde o Axé e o Amém se unem no Amor"


Com o designer e artista visual Batman Zavareze à frente da direção de arte, o livro ganha um conceito artístico original repleto de brasilidade. "Quando Claudio e Tuila me contaram sobre a ideia do livro eu vi uma viagem sobre o Brasil plural, generoso, profundo e amoroso que fica resumido no que nossos ancestrais chamavam de sincretismo. Esse percurso no livro tem um momento esteticamente exuberante, outro bem didático e uma camada de leitura que extrapola o objeto do livro com os QR Codes com registros autorais que surgem como respiros durante a leitura do livro", afirma Batman Zavareze sobre o impacto do encontro com os autores. 

Leo Eyer, que assina a direção de design, complementa: "Nosso objetivo foi não apenas transmitir informações, mas também despertar emoções e provocar reflexões sobre os temas abordados, promovendo uma jornada imersiva e inspiradora que leve os leitores a explorar ainda mais as camadas de significado presentes neste livro”.


As cores vibrantes predominam nas páginas, ornando com fotografias de terreiros e imagens de santos e orixás. Buscando contemplar a realidade de diferentes terreiros pelo Brasil, Claudio e Tuila visitaram espaços em São Paulo, Aparecida, Salvador, Manaus, Ouro Preto e Chapada dos Veadeiros. Nestas viagens, os autores coletaram depoimentos em vídeo de grandes nomes religiosos do país, como Padre Edson Menezes da Silva (Basílica Santuário Senhor do Bonfim, BA), Babalorixá Vilson Caetano (Ilê Oba L'okê, BA), Ialorixá Vó Sinha (Casa Branca, BA) e Yakekerê Solange (Ilê Axé Oxum Opará, SP), que também integram o projeto através QR Codes, com registros autorais. Um retrato da fé do brasileiro, o livro conta com tradução do texto integral para o inglês, possibilitando que outros países tenham acesso à obra.


“O sincretismo surgiu como uma forma de proteger os cultos afros e como demonstrador da força da criatividade dessas etnias, que não aceitou a dor e reconheceu que a união espiritual é onde Deus conectava todos nós. Com o nosso sincretismo religioso, uma síntese cultural vital para o Brasil, construímos a representatividade, a legitimidade e a sustentabilidade social, política, cultural, econômica e ambiental do nosso país”, celebra Carlinhos Brown no prefácio.

Após um longo período no mercado financeiro, Claudio decidiu dedicar-se à espiritualidade. Trabalha há mais de 20 anos com alinhamento energético e meditação, atendendo hoje a cerca de 12 pessoas por dia em seu consultório, no Rio de Janeiro. Jornalista, atriz e diretora, Tuila foi criada na Umbanda e está à frente do espetáculo “Presentes”, produção aclamada pelo público carioca. 


Tuila Jost e Claudio Soares. (Foto: Leo Aversa)
Tuila Jost e Claudio Soares. (Foto: Leo Aversa)

O caminho de ambos se cruzou há 18 anos, mas foi durante a pandemia que os dois amigos decidiram criar no Instagram a página Janela de Agni (@janeladeagni), um canal de fé e meditação com o propósito de levar um pouco de espiritualidade para as pessoas naquele momento difícil. Hoje, o perfil soma 250 mil seguidores – e foi a gênese de “Axé Amor Amém”.


Lançamento de “Axé Amor Amém” 

(Editora Afluente, 327 páginas)


“Axé Amor Amém” 
“Axé Amor Amém” 

Dia 8 de maio, das 19h às 23h

Restaurante Preto Cozinha (R. Fradique Coutinho, 276 - Pinheiros)

Link de compra: 


8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page