top of page
  • Foto do escritorLagoaNerd/Karen

cultura e infâncias: Conheça dez livros de autores indígenas para ler na semana da Amazônia

Nesta semana da Amazônia, cujo dia se comemora em 05 de setembro, conheça dez livros de autoras e autores de diferentes nações indígenas presentes no acervo 2023 da ONG Vaga Lume que, há quase 22 anos, trabalha com bibliotecas comunitárias na região.


Crédito: Divulgação_Portel_Emilie Rivas_MG
Crédito: Divulgação_Portel_Emilie Rivas_MG

“Buscamos livros que despertam sentimentos em quem faz a mediação e em quem ouve as histórias. Obras que inspiram boas conversas, geram sentimento de afeto e aumentam repertório, não só de vocabulário, mas também de conhecimento de mundo, de outras culturas e paisagens. Como Paulo Freire dizia, livros são ferramentas de liberdade e essa é a missão da Vaga Lume ao espalhar livros pela Amazônia”, diz Fernanda Prado, gerente de Relações Institucionais da Vaga Lume.
  1. Nós - uma antologia de literatura indígena Autor: Vários Ilustrador: Maurício Negro Editora: Companhia das Letrinhas Nesta belíssima antologia ilustrada, o leitor vai conhecer dez histórias contadas ou recontadas por escritores de diferentes nações indígenas.

  2. A boca da noite Autor: Cristino Wapichana Ilustrador: Graça Lima Editora: Zit Menino Kupai, personagem principal desta história, muito curioso e inventivo, conta aqui um pouco da infância, da família, do cotidiano e da criatividade do povo Wapichana. Obra selecionada para o Clube de Leitura ODS da ONU relacionada com o Objetivo de Redução das Desigualdades e ganhadora de diversos prêmios incluindo Jabuti em 2017 na categoria infantil.

  3. Kunumi Guarani Autor: Wera Jeguaka Mirim Ilustrador: Gilberto Miadaira Editora: Panda Books Werá Jeguaka Mirim é um menino guarani. Neste livro, ele nos conta onde fica a aldeia em que mora, como é a sua casa, as brincadeiras preferidas e como é o seu dia a dia. Prepare-se para conhecer a vida de uma criança indígena e a riqueza de seu povo.

  4. Kabá Darebu Autor: Daniel Munduruku Ilustrador: Maté Editora: Biruta Nossos pais nos ensinam a fazer silêncio para ouvir os sons da natureza; nos ensinam a olhar, conversar e ouvir o que o rio tem para nos contar; nos ensinam a olhar os voos dos pássaros para ouvir notícias do céu; nos ensinam a contemplar a noite, a lua, as estrelas..." Kabá Darebu é um menino-índio que nos conta, com sabedoria e poesia, o jeito de ser de sua gente, os Munduruku.

  5. O sonho de Borum Autor: Edson Krenak Ilustrador: Maurício Negro Editora: Autêntica O sonho de Borum, de Edson Krenak, é vencedor do 10º Concurso Tamoios de Textos de Escritores Indígenas. A Autêntica Editora, unindo-se a essa ação inovadora, publica o texto, possibilitando que este, transformado em livro, seja lido por mais pessoas.

  6. A mulher que virou Urutau Autor: Olívio Jekupe Ilustrador: Taisa Borges Editora: Panda Books Esta é a história de uma bela índia que se apaixona por Jaxi, o Lua. Para saber se o sentimento é verdadeiro, Jaxi resolve colocar em prova o amor da jovem. Esta é a lenda guarani sobre o pássaro urutau, ave que possui uma diferente estratégia de camuflagem: ficar imóvel nos troncos das árvores, de olhos fechados, para não chamar a atenção dos predadores. Por meio da lenda é possível discutir a relação entre essência e aparência, valores e virtudes, além da própria cultura indígena. O livro traz o texto em português e em guarani, além de dados informativos sobre o pássaro urutau.

  7. A origem do beija flor Autor: Yaguarê Yamã Ilustrador: Taisa Borges Editora: Peirópolis Os mitos de origem do mundo e dos seres que nele vivem são uma grande riqueza dos povos indígenas. Neste livro, Yaguarê Yamã registra uma dessas histórias: o mito da origem do beija-flor, que vive na memória dos antigos pajés do povo Maraguá, habitante do vale do rio Abacaxis, no Estado do Amazonas. Esse povo valoriza muito o contador de histórias, personagem sempre requisitado no cotidiano e nos festejos da tribo, e é conhecido como “os índios das histórias de fantasmas”. Neste livro, a delicada história é apresentada em português e em maraguá, dialeto misto de Aruak com Nheengatu, e integra a coleção Peirópolis Mundo, que busca valorizar línguas minoritárias de todas as partes do planeta. O áudio com a história na voz do autor em sua língua original está disponível no site da editora.

  8. Estrela Kaingáng - a lenda do primeiro pajé Autor: Vãngri Kaingáng Ilustrador: Catarina Bessel Editora: Biruta Uma estrela desce do céu e se apaixona por uma bela índia, com quem logo se casa. Com a ajuda da sua Mãe Lua, a estrela terá de enfrentar espíritos do mal que tentarão atacar seu filho e sua esposa. Assim começa a história do primeiro pajé da tribo kaingáng, o líder que protegerá seu povo de todas as ameaças e os guiará para uma vida de paz, sabedoria e harmonia com a natureza.

  9. A pescaria do Curumim e outros poemas indígenas Autor: Tiago Hakiy Ilustrador: Taisa Borges Editora: Panda Books Tomar banho de rio, subir no pé de goiabeira, brincar com os animais, pescar o almoço, olhar as estrelas. Em "A pescaria do Curumim e outros poemas indígenas", a cultura dos índios da Amazônia é apresentada às crianças sob a forma de singelos poemas. Ninguém melhor do que Tiago Hakiy para fazer isso com aprumo: descendente do povo sateré mawé, o autor nasceu em Barreirinha (AM), no coração da Floresta Amazônica. O livro ganha ainda um charme extra com as representativas ilustrações de Taísa Borges. Coloridos, tradicionais e de traços fortes, os desenhos contribuem para a inserção do público infanto-juvenil no universo dos índios amazônicos.

  10. Abaré Autor: Graça Lima Ilustrador: Graça Lima Editora: Panda Books Abaré significa "amigo" em tupi-guarani. Esse é o nome que recebe um indiozinho muito especial, personagem central do nosso livro. A obra conta, por meio de belas ilustrações, a história desse indiozinho curioso e esperto que adora conhecer novos lugares e descobrir as diferenças que existem em cada espécie. Os caminhos por onde ele passa, os animais que ele encontra e até as surpresas que ele vê, tudo isso ensina e ajuda o nosso amigo a amadurecer. De todas as descobertas, a maior delas será a amizade, sentimento para ser levado vida afora.


Sobre a Vaga Lume

Criada há 21 anos, a Vaga Lume está presente em 22 municípios da Amazônia Legal, com 163 mil livros doados, 89 bibliotecas comunitárias e 5 mil mediadores de leitura formados. O seu propósito é empoderar crianças de comunidades rurais da Amazônia por meio da leitura e da gestão de bibliotecas comunitárias, promovendo intercâmbios culturais com a leitura, a escrita e a oralidade para ajudar a formar pessoas mais engajadas na transformação de suas realidades.

Alguns números da Vaga Lume

+163 mil livros doados;

+109 mil crianças, jovens e adultos impactados;

+5 mil mediadores de leitura formados;

+880 voluntários ativos na Amazônia.

Conheça o mini documentário Vaga Lume no YouTube. Fotos ilustrativas do trabalho da Vaga Lume, link.

11 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page