top of page
  • Foto do escritorLagoaNerd/Karen

Três coproduções Globo Filmes são selecionadas para Festival de Brasília 2023

Tradicional evento vai ocorrer de 9 a 16 de dezembro 


“Raoni - Uma Amizade Improvável” será o filme de encerramento do festival
“Raoni - Uma Amizade Improvável” será o filme de encerramento do festival

A Globo Filmes chega à 56ª Edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro, o mais longevo evento de cinema no país, com três coproduções: “No Céu da Pátria Nesse Instante”, de Sandra Kogut, na categoria Mostra Competitiva Nacional Longas-Metragens; “A Batalha da Rua Maria Antônia”, de Vera Egito, na Mostra Paralela – Outros Olhares; e “Raoni - Uma Amizade Improvável”, de Jean-Pierre Dutilleux, na Sessão Especial Hors Concours – Encerramento. De 9 a 16 de dezembro, com exibições no Cine Brasília, Complexo Cultural Samambaia e Complexo Cultural de Planaltina, mais de 50 filmes estarão em cartaz pelo festival, que também vai oferecer outras atividades como oficinas, debates e seminários. 

Com exibição no dia 10 de dezembro, às 20h, no Complexo Cultural de Planaltina e no Complexo Cultural Samambaia, e às 21h no Cine Brasília, “No Céu da Pátria Nesse Instante”, dirigido por Sandra Kogut, acompanha de perto os meses turbulentos do período eleitoral que culminaram na invasão do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do STF em 8 de janeiro de 2023. Por meio do olhar e da vivência de alguns personagens envolvidos no processo das eleições, mergulhamos num Brasil de tensão e expectativa, onde coexistem realidades paralelas, que têm dificuldade de se enxergar mutuamente. O filme é produzido pela Ocean Films, Marola Filmes, Kiwi Produções, em coprodução com Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil, com distribuição da O2Play. 

Dirigido por Vera Egito, “A Batalha da Rua Maria Antônia” terá uma sessão no dia 13 de dezembro, às 14h, no Cine Brasília, e retrata momentos da noite de outubro de 1968, que ficou conhecido como “Batalha da Rua Maria Antônia". 21 planos sequências trazem a tensão e os conflitos vividos por professores e estudantes do Movimento Estudantil de Esquerda, no prédio da Faculdade de Filosofia da USP, que montaram uma vigília para garantir a votação no pleito do movimento estudantil em plena repressão da ditadura militar. Eles enfrentam os ataques do Comando de Caça aos Comunistas vindos do outro lado da rua, da Universidade Mackenzie. Quando o confronto explode, gritos, molotovs, pedras, paus e bombas caseiras são atiradas, e as 24 horas vividas com a paixão da juventude dos anos 60, em defesa de um ideal, se misturam com a iminência da invasão dos militares ao prédio da USP. O longa tem produção da Paranoid, coprodução Globo Filmes, com distribuição da Imagem Filmes. 

Para o encerramento do festival, “Raoni - Uma Amizade Improvável”, de Jean-Pierre Dutilleux, será exibido no dia 16 de dezembro, às 16h, no Cine Brasília. O filme conta a longa e improvável história de amizade entre o cacique Kaiapó Raoni e o cineasta belga Jean-Pierre Dutilleux ao longo de 50 anos. Pelas lentes de Jean Pierre, seu filme “Índios” de 1973 e o filme “Raoni” de 1976, indicado ao Oscar na versão americana com a participação de Marlon Brando, tornaram Raoni conhecido internacionalmente. Há um registro dos inúmeros encontros entre os dois amigos até os dias atuais, em que muitas vitórias foram conquistadas, inclusive a demarcação das terras ancestrais do povo Kaiapó.  O longa é uma homenagem à luta do cacique Raoni, no Brasil e no mundo, pela preservação dos territórios indígenas, de sua cultura e da Amazônia. A obra tem produção da Indiana Produções - Marco Altberg, em coprodução com JP Filmes, Yemaya, Globo Filmes, GloboNews e Canal Brasil, com distribuição da Downtown. 

7 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page