top of page

Zona de Risco – Tiro, Porrada e Bomba, aliado a novas tecnologias para construir mais um longa de ação genérico, onde tem suspense morno, mas com dupla carismática em seu elenco.

Atualizado: 26 de fev.


Zona de Risco

Em cartaz nos cinemas brasileiros distribuido pela Imagem Filmes, o filme Zona de Risco é dirigido pelo cineasta norte-americano Willian Eubank. Que traz em seu novo projeto um thriller de ação, com foco naquelas narrativas que foram bastante exploradas pelo cinema de Hollywood na década de 80, principalmente com o tema da Guerra do Vietnã. Seu longa demora para engrenar na ação, mas vai muito bem nesse quesito, apesar das limitações por conta do orçamento considerável baixo para os padrões do gênero, explorando bem as dinâmicas dos seus dois astros, e dividindo de forma satisfatória as situações vividas por ambos. Longe da qualidade dos longas no qual o diretor disse: me inspirei em filmes como (Nascido para Matar) de Stanley Kubric, e (Apocalypse Now) de Francis Ford Coppola.

 

A história do filme nos faz acompanhar Kinney (Liam Hesmworth) que acaba tendo de ir em uma missão de resgate extremamente complicada e perigosa pelo território inimigo. Com pouquíssima experiência e um certo receio, ele acaba ficando sozinho após a missão passar por contratempos e falhas na sua execução, e precisa confiar num piloto de drone da força aérea americana Reaper (Russell Crowe) que serão seus olhos e guia para escapar dos inimigos e conseguir ser resgatado.



Russell Crowe em Zona de Risco

 

Com roteiro do diretor e de David Frigerio, temos uma trama bem simples e direta ao ponto, com um rápido desenvolvimento de personagens, mesmo que alguns só desempenhem meras características sem muito aprofundamento em suas personalidades. O longa aposta bastante no carisma de seus protagonistas para passar uma certa credibilidade de que tudo no filme realmente tem todas aquelas situações de risco. Com várias facilitações do roteiro, pois o filme coloca nosso protagonista em perigos que realmente percebemos que ele não teria capacidade de se safar, então surgem aqueles salvamentos no último minuto, inimigos tomam atitudes num momento e em outros tomam decisões completamente diferentes para poupar o mocinho e nosso investimento emocional com ele se manter sempre lá em cima, já que a trilha sonora evoca todo aquele suspense, e drama do Kinney querendo fugir dos inimigos e sem esperanças quando perde comunicação com seu guia.

 



Liam Hemsworth e Luke Hemsworth em Zona de Risco

Apesar de genérico, com cenas de ação burocráticas, Zona de Risco é um filme Ok, dentro de seu gênero e com o orçamento aquém do normal, para um filme com uma boa visibilidade e com astros que deve ter embolsado boa parte desse dinheiro, tem bons momentos de suspense e ação, bons efeitos sonoros, e uma trama bem simples onde objetivos do longa é bem claro, dar aquela sensação de heroísmo e demonstrar o quanto o herói norte-americano vai até seus limites para realizar tais missões e quanto a nação e seus habitantes são importantes. Mesmo com uma visão bem longe de ser realidade, sabemos muito bem disso, na minha opinião esse filme é um bom passatempo e cumpre bem seu papel, é um projeto bem genérico? Sim, mas quem disse que isso significa necessariamente ser algo ruim; é sim uma boa alternativa.

 

25 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page