top of page
  • Foto do escritorLagoaNerd/Karen

CRITICA | ANGELA

Atualizado: 29 de set. de 2023

filme nacional baseado em fatos reais da história da Ãngela Diniz e trás a tona um dos casos mais emblemáticos de feminicídio do país

O filme é protagonizado por Isis Valverde, GabrielBraga Nunes, Alice Carvalho Carolina Manica e grande elenco

Isis Valverde como Ângela Diniz Crédito: Aline Arruda
Isis Valverde como Ângela Diniz Crédito: Aline Arruda

Sinopse:

Após uma tumultuada separação e ter que ceder a guarda dos seus três filhos, a famosa socialite Ângela Diniz conhece Raul, e acredita ter encontrado alguém que ama seu espírito livre tanto quanto ela. A atração avassaladora fez o casal largar tudo e viver o sonho de reconstruir suas vidas na casa de praia. Mas a vida tranquila rapidamente se transforma quando Raul começa a se mostrar um homem agressivo, violento e controlador. A relação declina para o abuso e a violência, dando origem a um dos casos de assassinato mais famosos de todos os tempos no Brasil.

Em se tratamento de crimes reais ainda mais sobre casos no Brasil não são muitos os que são transformados em filmes e em dramatização e Angela vem para falar mais sobre isso mas talvez não da forma esperada.

Angela Diniz foi uma mulher a frente do seu tempo enfrentando a exposição, o preconceito, não deixando de ser também uma pessoa controversa mas teve um final trágico nas mãos de Raul do Amaral Street e da qual não merecia


Isis Valverde como Ângela Diniz Crédito: Aline Arruda
Isis Valverde como Ângela Diniz Crédito: Aline Arruda

o filme vem também em uma busca de trazer a voz para ela dela que por muitas vezes não é conhecido e ela teve a sua reputação manchada mesmo após a morte

Sobre o filme eu gostei dele apesar de que eu achava necessário trazer mais tensão e drama ele ficou com situações um jeito mais de novela

mas é notório e entendível que um tema como esse deve ser retratado em tela seja na tv ou no cinema

Isis Valverde como Angela está muito bem no papel trazendo a tona mais a vulnerabilidade a força e muitas vezes a solidão de Angela em cena

Eu fiquei refletindo sobre o filme pois ele me causou mais questionamentos do que respostas sobre o caso, muito pelo que acho que a forma como foi abordado e retratado tenha sido mais corrrida e que não causou tanta empatia com a protagonista ou um entrelace maior sobre ela e isso eu questionei na entrevista que fiz com a Isis Valverde, a Duda de Almeida ( roteirista) e o Hugo Prata ( diretor)

Em partes também pois não achei o Gabriel Braga Nunes bom como Raul e parece não ter tido uma química envolvente entre ele e a Isis Valverde em cena não trazendo assim uma paixão avassaladora como foi o caso entre Raul e Ângela

o elenco masculino ele parece muito caricato e faz com que ele perca a força da história , porém o elenco feminino principalmente Alice Carvalho ( Cangaço Novo) como Lili e Carolina Mânica como Adelita Scarpa trazem um melhor entrosamento com a Angela de Isis Valverde gostaria de ter visto mais cenas delas

Ainda sim o tom do filme parece que tem pegadas mais de uma minisérie ou serie onde as coisas poderiam ter sido melhor contadas e é o que acho que vai acontecer deles levarem o filme para a tv é uma abordagem da história de um modo diferente porém que tem o mesmo final trágico

É um filme interessante e que merece ser visto para que casos como o de Angela Diniz não se repitam onde a alta incidência de casos de feminicídio cresce a cada ano, e lembrando do bordão que foi usado no caso a época e que está cada vez mais atual Quem Ama não mata.





7 visualizações0 comentário
bottom of page