top of page
  • Foto do escritorLagoaNerd/Karen

DURVAL DISCOS, DE ANNA MUYLAERT, INAUGURA NOVA EDIÇÃO DA SESSÃO VITRINE PETROBRAS E VOLTA AO CINEMA

Protagonizado por Ary França, Etty Fraser e Marisa Orth, filme será lançado em cópia digitalizada 4k em 23 de novembro graças ao patrocínio da Petrobras que volta a incentivar a Sessão Vitrine



Clássico contemporâneo, DURVAL DISCOS, de Anna Muylaert, chegará aos cinemas de mais de 20 cidades do país como o primeiro longa da nova edição SESSÃO VITRINE PETROBRAS, que começa no próximo dia 23/11, e tem ingressos a preços acessíveis. O filme estreia em cópia digital 4k, cujo processo de digitalização foi patrocinado pelo projeto Sessão Vitrine Petrobras. Não é por acaso que essa edição da SESSÃO VITRINE PETROBRAS comece com esse filme tão querido pelo público, que foi premiado no Festival de Gramado em 2002, no qual ganhou 7 Kikitos, entre eles Melhor Filme, e lançou a carreira de Muylaert como diretora de longas. Sempre foi uma vontade de Silvia Cruz, sócia-fundadora da Vitrine Filmes, resgatar a memória do cinema nacional com o projeto de digitalização ou restauração de filmes que possam chegar ao público com ingressos acessíveis.

No caso de DURVAL DISCOS, os negativos, guardados na Cinemateca Brasileira, estavam em excelente qualidade, por isso, passou pelo processo de digitalização, que foi viabilizado graças ao patrocínio da Petrobras para o projeto. O longa foi rodado em super 35mm, para ser exibido em Scope, e foi digitalizado em 4k. Importante ressaltar que o processo de digitalização é diferente do restauro, que se dá em casos de negativos deteriorados (que não era o caso de Durval Discos) e que precisam de mais cuidados antes de serem transferidos para o digital e novamente passados pela película.


Anna Muylaert e Marisa Orth nos bastidores de Durval Discos
Anna Muylaert e Marisa Orth nos bastidores de Durval Discos

Eu sempre quis mostrar esse filme novamente em digital, mas o processo é caro e complexo, por isso, foi fundamental a participação do projeto Sessão Vitrine Petrobras. Fico feliz que as pessoas poderão redescobrir DURVAL DISCOS no cinema, ou mesmo as novas gerações que não conhecem o filme, poderão ter seu primeiro contato com ele numa tela grande”, comenta Muylaert, que, nesses 20 anos desde o lançamento do longa, se tornou uma das principais cineastas brasileiras, tendo no currículo longas como ‘Que horas ela volta?’ e ‘É proibido fumar’. Débora Butruce, curadora de filmes de patrimônio e supervisora de digitalização, aponta que preservar as produções nacionais “é salvaguardar o patrimônio audiovisual para que este possa ser acessado por novas gerações e, dessa forma, possibilitar a criação de novas conexões com a cinematografia brasileira.”

Ao incluir filmes de patrimônio nesta nova etapa, a SESSÃO VITRINE PETROBRAS promove o resgate da memória audiovisual nacional e favorece a formação de uma cultura cinematográfica baseada em referências brasileiras, ação essencial para a valorização do nosso cinema. “Além disso, fomentamos a conscientização acerca da importância da preservação. Para construirmos outras possibilidades de futuro, é fundamental olharmos com atenção para o passado e para o patrimônio audiovisual brasileiro”, conclui Butruce.


Anna Muylaert diretora de Durval Discos
Anna Muylaert diretora de Durval Discos

DURVAL DISCOS foi rodado na cidade de São Paulo, que surge como uma personagem na tela, e tem como protagonista Durval (Ary França), um homem que tem uma pequena loja de discos de vinil na casa onde vive com sua mãe (Etty Fraser) em Pinheiros. Uma nova empregada (Letícia Sabatella) desaparece, deixando na casa uma menina, Kiki (Isabela Guasco), que transformará a vida da pequena família que se apega a ela. O longa conta ainda, no elenco, com Marisa Orth, como uma vendedora da loja de doces ao lado da casa de Durval, e participação especial de Rita Lee e André Abujamra, que também assina a trilha sonora.


A SESSÃO VITRINE PETROBRAS lançará nos próximos meses longas como PROPRIEDADE, de Daniel Bandeira, a animação BIZARROS PEIXES DAS FOSSAS ABISSAIS de Marão e o premiado SEM CORAÇÃO, de Nara Normande e Tião. Em breve outros filmes serão divulgados.

Sinopse Para ajudar sua mãe, o solteirão Durval contrata uma candidata que faz quitutes extraordinários. Mas, depois de dois dias, ela desaparece, deixando sua filha, a pequena Kiki, que mudará a vida da pequena família.

Ficha Técnica Direção: Anna Muylaert Produção: Sara Silveira, Maria Ionescu Produção executiva: Sara Silveira, Maria Ionescu Roteiro: Anna Muylaert Elenco: Ary França, Etty Fraser, Isabela Guasco, Marisa Orth, Letícia Sabate Música: André Abujamra Diretor de fotografia: Jacob Solitrenick Direção de arte: Ana Mara Abreu Figurino: Mariza Guimarães Produtoras: Dezenove Som e Imagens, África Filmes, Programa de Integração Cinema e TV, TV Cultura, Secretaria de Estado da Cultura, Governo do Estado de São Paulo País: Brasil Ano: 2002 Duração: 96 min

Sobre Anna Muylaert Anna Muylaert nasceu em São Paulo e estudou Cinema e Artes na USP. Nas últimas décadas escreveu roteiros para programas de TV (MUNDO DA LUA, CASTELO RÁ-TIM-BUM, UM MENINO MUITO MALUQUINHO, FILHOS DO CARNAVAL, AS CANALHAS, entre outros) e cinema (O ANO EM QUE MEUS PAIS SAÍRAM DE FÉRIAS, XINGU, PRAIA DO FUTURO e outros). Anna dirigiu DURVAL DISCOS, É PROIBIDO FUMAR e 3 outros filmes, mas tornou-se internacionalmente conhecida com QUE HORAS ELA VOLTA? em 2015. O filme recebeu o Prêmio Especial do Júri no Festival de Cinema de Sundance, e de público no Panorama do Festival de Berlim em 2015 e foi lançado em salas em 30 países, o que levou Anna a ser convidada a fazer parte da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Oscar). Atualmente está em filmagens do seu novo longa “A MELHOR MÃE DO MUNDO” e lançará em 2024 "O CLUBE DAS MULHERES DE NEGÓCIOS". Ela é mãe de José e Joaquim. Sobre o Patrocínio ​​A Petrobras é uma empresa que tem como parte de sua história o apoio contínuo à Cultura, iniciado há mais de 40 anos. O Programa Petrobras Cultural contribui ativamente para o desenvolvimento do setor, por meio de seleções públicas e projetos convidados, mantendo presença e diálogo com a sociedade. Nessa trajetória, a retomada da parceria com o projeto Sessão Vitrine Petrobras marca uma nova fase do Programa, de apoio a grandes projetos. Além da Sessão Vitrine, a empresa está também presente no segmento audiovisual em projetos como a Mostra Internacional de Cinema de SP, na Mostra de Cinema de Gostoso no Rio Grande do Norte e no Festival de Cinema de Vitória. O Programa Petrobras Cultural se encontra em reformulação e irá divulgar mais novidades em breve.

Sobre a Vitrine Filmes A Vitrine Filmes, desde 2010, já distribuiu mais de 200 filmes e alcançou milhares de espectadores apenas nos cinemas do Brasil. Entre seus maiores sucessos estão "Bacurau", de Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles, Prêmio do Júri no Festival de Cannes 2019; "O Processo", de Maria Augusta Ramos, que entrou para a lista dos 10 documentários mais vistos da história do cinema nacional; e "Druk: Mais Uma Rodada", de Thomas Vinterberg, vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2021. Em 2020, a Vitrine Filmes iniciou um novo ciclo de expansão e renovação. Entre as iniciativas, o lançamento da Vitrine España, que produz e distribui longas-metragens na Europa; o Vitrine Lab, curso online sobre distribuição cinematográfica, vencedor do prêmio de distribuição inovadora do Gotebörg Film Fund 2021; a Vitrine Produções, para o desenvolvimento e produção de títulos brasileiros; e, em 2022, a criação do selo Manequim, focado na distribuição de filmes com apelo a um público mais amplo. Na produção, o primeiro lançamento, "Amigo Secreto" (DocLisboa 2022), de Maria Augusta Ramos, teve mais de 15 mil espectadores no Brasil. Em 2023, a Vitrine Filmes apresenta ainda mais novidades para a produção e distribuição audiovisual. Entre as estreias do ano estão a animação “Perlimps”, de Alê Abreu, “Nosso Sonho”, de Eduardo Albergaria, do selo Manequim Filmes; o vencedor do Festival de Gramado, "Noites Alienígenas", de Sérgio de Carvalho e a indicação brasileira para o Oscar “Retratos Fantasmas”, de Kléber Mendonça Filho, com coprodução Vitrine Filmes.

10 visualizações0 comentário
bottom of page