top of page
  • Foto do escritorLagoaNerd

“Malu”, primeiro filme de Pedro Freire, é selecionado para o Festival de Sundance 2024

Produzido pela Bubbles Project e TvZero, longa-metragem está na seleção oficial da World Cinema Dramatic Competition


Malu
Malu

Dirigido e escrito por Pedro Freire, o filme “Malu” acaba de ser selecionado para a World Cinema Dramatic Competition, a competição oficial dos filmes estrangeiros do Festival de Sundance 2024, o mais importante festival dos Estados Unidos e considerado um dos cinco principais do mundo, que será realizado de 18 a 28 de janeiro de 2024. O longa-metragem é produzido pela Bubbles Project e pela TvZero, que estiveram em Sundance em 2018, com “Benzinho”, de Gustavo Pizzi, e coproduzido pela RioFilme, pelo Telecine e pelo Canal Brasil, e conta com a distribuição da Filmes do Estação.  

 

“Voltar a Sundance, apresentando mais um longa-metragem é muito emocionante. Em uma larga escala, afirma a qualidade e a diversidade do cinema brasileiro no mundo e pessoalmente confirma para mim o quanto é importante investir em novos talentos – o Pedro tem de sobra –, trabalhar cuidadosamente no desenvolvimento dos projetos, estabelecer grandes parcerias e nunca desistir. ‘Malu’ representa bem em todos os aspectos tudo isso”, comenta a produtora Tatiana Leite, que também produziu o longa “Regra 34”, dirigido por Júlia Murat, filme mais premiado de 2022. 

 

Para o produtor Roberto Berliner, da TvZero, a seleção para o Festival é resultado de uma soma de esforços entre todos os envolvidos: “‘Malu’ é um filme íntimo, delicado e pessoal, de um diretor que promete muito e de uma parceria entre a TvZero e a Bubbles que leva nosso segundo filme a Sundance”.

 

Yara de Novaes, Juliana Carneiro da Cunha, Carol Duarte, Átila Bee compõem o elenco do longa, que traz no título o nome da protagonista, Malu, uma atriz instável e desempregada, que vive com sua mãe conservadora, em uma casa humilde de uma favela do Rio de Janeiro, próxima ao mar. Malu tenta lidar com o relacionamento tenso com sua própria filha adulta, enquanto sobrevive com as lembranças de seu glorioso passado artístico.  

 

O diretor e roteirista Pedro Freire conta que teve a ideia do filme há mais de dez anos, após a morte de sua mãe, Malu Rocha: "Malu é um drama familiar, um filme intimista, centrado no roteiro e na atuação. É uma adaptação da história da minha mãe, a atriz paulista Malu Rocha (1947-2013). Venho de uma família de atores, e desde cedo decidi que queria escrever para atores e dirigir atores. Escolhi o cinema para exercer essa paixão. Depois de 25 anos trabalhando para diversos diretores, e tendo dirigido oito curtas que passaram por diversos festivais, é uma alegria imensa estrear meu primeiro longa-metragem como diretor no festival de Sundance, um dos maiores festivais do mundo que sempre privilegiou filmes independentes como o nosso."


Tatiana lembra que as filmagens de ‘Malu’ ocorreram no fim de novembro de 2022, “em uma espécie de estilo de guerrilha, durante três semanas”, e continua: “Foi um grande desafio para todos, mas foi incrível. Começamos a montagem em março de 2023 e hoje temos esse filme lindo e forte. Estamos muito felizes com a seleção para um festival tão importante. Esperamos que o filme seja visto por diferentes públicos em todo o mundo”.  

 

"O filme se passa no Rio de Janeiro nos anos 90, e retrata Malu, uma atriz de 55 anos que teve um passado glorioso no teatro mas foi atropelada pela ditadura e hoje se vê desempregada, forçada a viver em uma casa precária com sua mãe, uma senhora conservadora, e tentando salvar uma relação desastrosa com sua própria filha. Um filme sobre uma mulher forte que tenta fazer tudo dar certo, apesar de suas emoções violentas." conta o diretor.


De acordo com Freire, “Malu” é um filme sobre as diferenças entre três gerações de mulheres bastante distintas entre si: 

 

“Uma atriz de meia-idade, traumatizada, que sonha com um teatro agora no passado; uma mulher idosa, que sente saudades do regime militar e não entende os novos tempos; e uma jovem que tenta encontrar seu caminho apesar da relação difícil com sua mãe. Três mulheres lutando cada uma com sua própria realidade sombria”, antecipa. 

 

Ficha Técnica: 

Roteiro: Pedro Freire 

Diretor: Pedro Freire 

Produtores: Tatiana Leite, Roberto Berliner, Sabrina Garcia, Leo Ribeiro.

Direção de fotografia: Mauro Pinheiro Jr. 

Direção de arte: Elsa Romero 

Montagem: Marilia Moraes 

Figurino: Rô Nascimento 

Caracterização: Marcos Freire 

Técnico de som: Marcel Costa 

Desenho de som: Daniel Turini 

Produção executiva: Carlos Eduardo Valinoti, Tatiana Leite, Sabrina Garcia, Leo Ribeiro 

Produção: Bubbles Project e TvZero 

Coprodução: RioFilme, Telecine e Canal Brasil 

Distribuidor brasileiro: Filmes do Estação 

Elenco: Yara de Novaes, Juliana Carneiro da Cunha, Carol Duarte, Átila Bee  

 

PEDRO FREIRE | Diretor e roteirista 


PEDRO FREIRE
PEDRO FREIRE

Pedro Freire é diretor e roteirista de cinema, teatro e TV. Formou-se em Direção de Cinema na EICTV (Cuba) e em Teatro na CAL (Rio de Janeiro). Sua filmografia inclui oito curtas-metragens, exibidos em competição em festivais internacionais como Veneza, Locarno, Havana, Oberhausen, Torino, Huelva, Cinéma du Réel, Rio de Janeiro e São Paulo. Em 2016, seu curta-metragem "Se por acaso", realizado sob a supervisão artística de Abbas Kiarostami, estreou no Festival de Cinema de Locarno. Seu curta-metragem "O teu sorriso" ganhou vários prêmios no Brasil e estreou no Festival de Veneza. 

 

Trabalhou como roteirista para Ruy Guerra, assistente de direção de Karim Aïnouz e colaborou como diretor de atores ou diretor de elenco para cineastas como Jonathan Nossiter, Marcelo Gomes, Sandra Kogut, entre outros, em um total de 16 longas-metragens, além de assistente de direção para os diretores de teatro Enrique Diaz e Bia Lessa. Coescreveu o roteiro do longa-metragem "Aspirantes" (Ives Rosenfeld), vencedor do prêmio Carte Blanche em Locarno 2014 e do Prêmio APCA de Melhor Roteiro em 2019. 

 

Pedro dirigiu três peças profissionais, incluindo "Old Times", de Harold Pinter, que estreou no Rio em 2011 e em São Paulo em 2012. Foi diretor de 11 séries de TV, ao lado dos diretores Luiz Fernando Carvalho, Anna Muylaert, entre outros. 

 

Participou da residência "Director's Lab" do Lincoln Center Theater (Nova York, 2012) e do Berlinale Talent Campus Buenos Aires (2008). Ministra aulas de Direção de Atores em diversas instituições no Brasil, Cuba e República Dominicana. “Malu” é seu primeiro longa-metragem. 

3 visualizações0 comentário
bottom of page